Senhora do Monte

    • RE: Sá da Bandeira 1964/1967

      Olá Dina,

      Pois claro que conheço muito bem o Victor. Foi meu "bicho" no Tchivinguiro e continuamos a ser muito bons amigos. Ele que o confirme.
      Nunca vos conheci a não ser que tenha sido em Sá da Bandeira quando tinhamos menos quarentas.... Conheci o seu Pai que por informação do Victor nasceu na mesma aldeia que eu. Sempre que ia a Macedio ou a Mirandela encontrava-me com eles (Victor e Isabel).
      Tivemos a opiortunidade de nos encontrarmos em Moçambique, Nampula, já que ambos casámos na mesma altura e as nossas ditas tiveram crias espaçadas cerca de um ou dois meses.

      Quanto à Carlota Castro Lemos á rigorosamente a mesma, mais conhecida pela Bolota, que infelizmente faleceu o ano passado.

      Quando vier por estas bandas vnham fazer-nos uma visita.

      Um abraço do
      Júlio Duarte
      (Kaputo), como era conhecido no Tchivinguiro.
    • Tchivinguiro

      Realmente o mundo é pequeno!

      Ainda que não me recorde de todos os rostos, as alcunhas estão-me no ouvido de ouvir o meu irmão falar.
      Kaputo, Kaperna, Cauita, Saint Tropez, etc.
      Outros conhecia pelos nomes como o Bráulio Sérgio(ja falecido) João Graça, Rebocho(o homem do v/Grito quando eu cheguei a Sá da Bandeira), Mim, Pombo, Zézé Peres, João Tomás Fonseca..
      Alguns já não serão do teu tempo, se saiste de lá em 1965.

      Tenho uma vaga lembrança de ter ouvido a minha irmã Paula dizer que lhe tinha constado que a Bolota falecera.
      Infelizmente, há uns quantos(homens e mulheres) da nossa geração, que já partiram.

      O Victor lá se mantém por Macedo, e quando desce à cidade nem sempre o vemos, ainda que eu more em Paço D Arcos e ele fique em casa do irmão da Isabel em Carcavelos.
      Este verão tivémos mais sorte pois como vinha com mais calma e com o neto lá fez o gosto às manas.
      Pois então, pelo menos já seremos três a dar a conhecer neste fio as tradições estudantis que fizeram aquela cidade tão especial,

      Continua Júlio Duarte e tudo de bom para ti e todos os teus!


      LUA AFRICANA (Dina)
    • RE: Sá da Bandeira 1964/1967

      Originalmente escrito por lua africana
      Olá Julio Duarte!

      De facto, aquela portaria do Colégio Paula Frassinetti era mesmo uma fronteira.

      Até o meu irmão Victor quando nos ia visitar passava por isso.
      Depois lá o começaram a conhecer pelo Armandino!!! E o que ele ficava furioso.
      Aliás, há dias verifiquei que o o meu irmãos Victor lhe escreveu tentando esclarecer a sua identidade.
      Ele é o LUDOVICO que também estudou no Tchivinguiro. Recorda-se dele?

      De momento não estou a ver quem fosse a Carlota.
      Tive diversas amigas da Gabela durante o meu tempo de internato.
      A Adelaide Andrade, A Armanda Gonçalves e a Graça que tinha uma série de irmãos.
      Acho que a Isabel Corte Real, conhecida por Bolota entre nós, também era de lá, ou dos arredores da Gabela.
      Eu participo também(agora com menos frequência) noutro site de Angola e tive o prazer de obter resposta de outros colegas Charruas.
      Estive com o Ludovico e as nossas duas irmãs no vosso encontro em Tomar, julgo que em Junho passado.
      Pela foto não me reconheceria , pois a diferença é enorme.
      Desde a cor dos cabelos à estrutura fisica.
      O que sucedeu??? Nem sei.
      Talvez se voltasse à Africa de outros tempos a magia sucedesse!
      Enfim, é a vida!
      Fiquei bem contente por alguém do meu tempo ter entrado no fio e espero que com continuidade.

      Por isso vamos recuar uns anitos e deixar que as boas recordações sejam transformadas em palavras.

      Ao Alto Ao Alto CHARRUAS:
      PH 666!!!
      Ainda mais alto : PH 666!!!
      A R R E B E N T A R PH 666!!!

      Realmente o vosso grito era demais!


      Um abraço



      LUA AFRICANA (Dina)



      Lua Africana

      (Ludovico)

      Conversamos eu e ele há um tempo no fio do Bié Maristas Sanzala, fomos colegas em Silva Porto 61-62-63-64, voltamo-nos a encontrar no Lubango estava eu no Diogo Cão e depois Nun'Álvares e ele no Tchivinguiro.
      Foi bom recordar, desculpa aproveitar a citação.

      meu blog para quiser ler, historiasdomeupai.blogspot.com
      Set

      Meu tempo não o perco, ganho-o nos amigos é o tempo deles para mim!
    • Liceu Diogo Cão-Sáda Bandeira

      SETECO
      Já fui consultar o teu nome Sérgio Monteiro, para ter uma ideia da tua pessoa.

      De facto o Victor esteve interno nos Maristas em Silva Porto,antes de ir para Sá da Bandeira, mais propriamente para o Tchivinguiro.

      O Diogo Cão a que te referes era o Liceu onde no final do anos lectivos( antigos 2º, 5º e 7º anos) o pessoal dos colégios particulares tinham tinham de se submeter aos exames?

      Por muito bons que fossemos isso não nos desobrigava de lá ir, enquanto os que estudavam nos Liceus se tivessem boas médias estavam logo aprovados.


      Que dores de barriga isso nos fazia,
      Até porque havia uma rivalidade entre liceu e colégios e uma média de alunos a aprovar e os de fora... estavam mais fácilmente na berlinda.

      A chamada para as salas das escritas, a separação das carteiras, já não bastava estarmos em lugares estranhos, os professores rondando em passadas silenciosas, como que tentando apanhar alguém cabulando ou esperando um "espirito santo " de orelha vindo dum colega!

      Depois a afixação das pautass com os resultados,as lágrimas, os protestos das provas que nos tinham corrido tão bem mas que por certo foram mal classificadas, os risos e os pulos de alegria para as dispensas ou notas que nos davam a hipótese e esperança de aumentar a média na oral.
      E finamente lá chegavam as famosissimas provas orais feitas por professores que nos eram vendidos com um historial de feras ou bonzinhos, completamente desconhecidos para nós.

      E para completar os nervos as ignorâncias e as "brancas" havia sempre uns estudantes sádicos que nem faziam parte dos anos que estavam a ser examinados , mas que adoravam assistir às mesmas,onde sabiam que o "coliseu" seria mais bárbaro!

      E também havia os espirituosos que ainda sem saber os resultados finais, saiam da sala cantando:


      Quero, ficar sempre estudante!......


      Actualmente estou um pouco afastada dessas praxes , mas lá terei de me actualizar, porque mais ano menos ano chegarão aos meus netos

      No entanto era mais ou menos assim que se passava no nosso tempo, não era?!!!




      LUA AFRICANA (Dina)
    • Por isso somos Maconginos

      Olá
      Era assim, por querer ser sempre estudante :D, tive de sair do Liceu e passar para o colégio Nun' Álvares.
      O resto era como dizes, depois destar no colégio passei para o lado dos maus da fita e era dificil.

      Hoje tudo está ultrapassado.

      Obrigado por teres respondido, nas madres andaram raparigas que provavelmente conheceste, Graça Arrimar, Anabela (Belão)Teixeira, são primas, a primeira da minha mulher e a segunda minha. Chibia em peso no Lubango.

      Até outra hora
      Set

      Meu tempo não o perco, ganho-o nos amigos é o tempo deles para mim!