Do Huambo para o mundo

    • Novo

      Alô Amigos Manuela, Eliseu, Sérgio ... e quem mais me leia !!


      Novamente, depois de ir fazer uma caneca de café, e processar as fotos para vos enviar!
      Bom tempo, boa companhia ... indispensável gastronomia adequada:


      Começámos com uns "Peixinhos da horta" que para quem não saiba, mais não são que vagens de feijão verde, passadas por uma polme de farinha, ovo, temperos e fritas em azeite ! Simple, bom e barato :




      Outros houve que não foram fotografados, e entrámos no prato de resistência:


      - Uma tachada da "Mão de Vaca, com Grão"



      Como seria de esperar, à maioria do pessoal "deu-lhe a fraqueza" e tiveram que ir fazer uma prolongada "siesta" ! Fiquei eu e a "Luna" de piquete, mas também esta, embora fizesse a festa com a sua ração habitual, optou pela mesma solução:





      Alô Sérgio !
      Tanto quanto sei, a razão do formato destes tonéis, era para ganhar espaço, nas adegas e particularmente, nas antigas tabernas, que por norma não dispunham de muito espaço! Recordo as tabernas de Lisboa, todas elas equipadas deste modo, um para o tinto, outro para o branco, Havia depois os mais pequenos, fosse para terem aguardente, vinho doce, o chamado abafado, etc. Estes foram-me oferecidos por um grande amigo, têm mais de 100 anos e embora não estejam servindo, estão operacionais!
      Ainda sobre a tragédia dos incêndios, finalmente houve a lucidez (???), governamental de entregar à Foça Aérea, todos os meios aéreos e a responsabilidade pela sua actuação, até agora um escandaloso negócio de empresas particulares. Também a "Defesa Civil", que sempre foi inoperacional e coio de "tachos", passa para as Forças Armadas ! Esperamos que todos estes meios e verbas, que tão "contaminados" têm estado, sejam bem desinfectados pelos novos gestores. A ver vamos ... como diz o ceguinho !!


      Para vós todos, aquele abração, Manecas


      - Laripó, ou mungué, amigos meus !!!
    • Novo

      V.P. 23 Out, âs 21.20
      Caros Amigos, [b]Boa Noite !![/b]


      Ausente desde a passada 6ª feira, retomo o lugar na formatura, esperando que todos tenham passado um bom fim de semana. Particularmente para o Eliseu, o mais que posso fazer, é desejar-lhe que a recuperação da sua cidade esteja decorrendo e que pessoalmente não tenha sido muito afectado.
      Por cá, voltámos a um tempo de primavera quente, quase Verão, com previsão de temperaturas na casa dos 30º ! Choveu, mas não chegou para pôr as barragens com níveis mínimos.


      Alô Manuela !!
      Como dizes, a data aproxima-se e Deus permitirá que tudo corra pela maior normalidade. Como já te disse, não tardarás a sentir a maravilha que é ser avô !! Vai dando noticias.
      No sábado tivemos a companhia da Siva e do António ! O tempo esteve de Verão o que contribuiu bastante para o capítulo da gastronomia ! Alem da anunciada "Mão de Vaca", deu para fazer pão e diversos petiscos ! O padeiro fui eu, isto é, padeiro, forneiro, empregado da limpeza e arrumações !
      A fornada não foi grande, para evitar estarmos os dias seguintes a comer ão seco, ou congelado.


      - Assim ficou a massa, pronta a levedar:




      - O forno aquecendo:



      E o resultado final !! Vão provando que volto daqui a minutos !

      - Laripó, ou mungué, amigos meus !!!
    • Novo

      Amigos mazungueiros

      De volta a este recanto de amizade para uma saudação a todos.
      Cá por cima a temperatura é de outono avançado e o sol tanto se mostra como logo se esconde. O vento, hoje, "vê-se", mas não com muita "nitidez".

      Amigo Eliseu, aí pela tua Terra a situação meteorológica não foi nada meiga. Como diz o Manecas, «a mãe Natureza, de várias maneiras diferentes, anda cobrando pelo mundo fora todas as agressões de que tem sido alvo!!». Mas tenho a impressão de que ela ainda não tem levado em conta TODAS essas agressões. Quando isso acontecer, se acontecer, será "bonito", será!!
      Para já, espero que o temporal tenha passado e tudo voltado à normalidade.


      Aqui, na minha zona, a chuva chegou ao fim da tarde de segunda feira, depois de algum vento que tinha soprado durante a noite. A chuva foi bem-vinda, mas o vento que a antecedeu veio carregado de terra, deixando tudo sujo por onde passou. Quem olhava para o céu era levado a pensar tratar-se de fumo. Mas fumo de onde, se o vento não vinha do lado dos incêndios que estavam activos? Depois viu-se que era terra.

      A chuva chegou. Uma bênção para as populações das regiões incendiadas, apesar da tragédia já estar consumada. Um fenómeno raro, talvez mesmo único no país, que não teve que ver com a vingança da Natureza.

      Manecas Manuel escreveu:

      !!! Neste caso, o que se passa em Portugal, a meu ver e de muito mais gente, é um plano muito bem estudado, e extraordinariamente económico, em termos de equipamento bélico, de operacionais humanos e com resultados finais garantidos para atingir os fins desejados rapidamente.
      Sim, Manecas, também penso que tudo teve que ver com um plano... Mas para mim, e para muitos outros, o plano é mais complexo (ou mais simples?) É que a "geringonça" tem funcionado e isso não agrada a muito "boa" gente.
      Agora só exijo que sejam identificados os incendiários e sobretudo os seus mandantes e/ou pagantes. Temos o direito de saber quem foram/são uns e outros.

      E para desanuviar, uma alusão às uvas do Manecas e ao licor do Eliseu.
      Quanto às uvas, são de fazer cobiça. Em segundo plano os pipos, cujos tampos, elípticos, me deixam curioso. Já os tinha visto, in loco, e agora, ao revê-los por fotografia, fiquei a pensar: deve haver uma razão para terem esta forma. Não sei é qual.
      [b]Sobre [/b] o licor de jabuticaba, o que me chama a atenção são os frutos, sobretudo por estarem "agarrados" ou quase ao próprio tronco da árvore. Coisas da Natureza que sabe sempre o que faz.

      [b]E com um copo do branco de D. Maria e um cálice de licor de jabuticaba, fico por aqui.[/b]
      [b]Para todos um bom fim de semana.[/b]
      [b]Sérgio O. Sá[/b]