Tomando as rédeas do nosso proprio cavalo

    • Nós somos coautores do mundo em que vivemos

      Em qualquer altura da historia desde que o mundo é mundo, têm sempre existido pessoas que ganham e pessoas que perdem.

      No mundo de hoje não há exceção. Sempre que alguém está a perder outra pessoa está a ganhar.
      O papel do governo é proteger os seus cidadãos contra práticas que sejam consideradas injustas e desproporcionadas.

      Se alguém rouba o produto do trabalho de outra pessoa deve ser punido pela lei ou pelo menos parado para que não o volte a fazer.

      O mesmo se aplica a uma organização comercial. É necessário regular para que não abuse nem dos seus trabalhadores nem da falsificação de produtos ou anúncios que não condigam à realidade do produto.

      Nós podemos não ter confiança no fabricante de um produto, mas temos que sentir que o governo está de olho nos fabricantes para que não nos vendam carne de cão por cabrito.

      Infelizmente o governo chegou a um certo ponto que deixou de funcionar. Sim, ainda exitem entidades governamentais que são conscientes mas por outro lado, a corrente é tão forte que os desmoraliza e os faz deixar passar o barco porque não têm mãos para o conter. E não têm mãos para o conter porque não têm ajuda dos colegas porque se deixaram levar ou seja comprar. E este "comprar" não tem que ser uma compra ou um suborno direto. Tudo o que tem que acontecer é a entidade governamental chegar à conclusão de que nada pode fazer e o melhor é estar calado e receber o seu tacho porque ele ou ela está bem protegido pois uns guardam as costas dos outros. Deixou de haver orgulho em se fazer o bem em prol de uma sociedade melhor. "Estamos numa crise econômica!" -- Dizem eles. E o que será que isso quer dizer? Será que vamos dar uma educação inferior à próxima geração só porque não soubemos gerir as finanças em tempos passados?

      Mas por outro lado... não podemos apontar os dedos só aos governantes. Devemos também olhar para o nosso umbigo e perguntar se não tivemos culpa de os ter colocado no poleiro. E mais ainda, quando foi a ultima vez que nós decidimos fazer algo pela comunidade? ou então, quando foi a ultima vez que nós resolvemos regressar à escola para nos mantermos informados a fim de sermos produtivos nos serviços que prestamos?

      Na realidade, se nós não nos melhoramos e nos tornamos mais uteis, como podemos nós pedir a um governo que nos proteja para que não percamos o nosso próprio tacho?

      Apontar dedos para os outros e chorarmos sobre os acontecimentos do mundo não alimenta os nossos filhos nem lhes dá nenhum futuro brilhante, pelo contrário, estamos a desperdiçar tempo muito válido que poderíamos utilizar para nos tornarmos mais uteis à sociedade e nos adaptarmos às mudanças da globalização.

      Sim, nós somos coautores do mundo em que vivemos. Deixar de apontar os nossos dedinhos e utilizá-los para aprender novas técnicas online ou para nos registarmos numa escola de formação para adultos, aprendendo "novas artes novos engenhos"... como escreveu Camões.

      A 1ª lei de Newton diz assim: “Tudo o que está em repouso tende a permanecer em repouso”. Não é a preguiça nem é a culpa dos outros, é mesmo esta nossa inércia em dar o primeiro passo em frente para que possamos modificar o nosso mundo atual e o melhorar para os nossos filhos e netos.

      Vou dormir...
      tony araujo

      Author @ Amazon .... Tony de Araujo