Bric-à-Brac de emoções...

    • Bric-à-Brac de emoções...

      Bric - à - Brac de emoções...


      << O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis e pessoas incomparáveis.>>


      --- F. Pessoa ---



      ...Não que seja o meu poeta preferido --- desculpem-me os que o amam --- mas foram estas as palavras que melhor se ajustaram ao bric-à-brac de emoções que aqui vou deixar...


      ***



      Há dias, lendo uma das crónicas do A.L.A., deparei-me com algo que também a mim sempre me fez confusão: "pessoas crescidas"

      O que são afinal "pessoas crescidas"...?! :rolleyes:

      << Nunca percebi quando se deixa de ser pequeno para se passar a ser crescido. Provavelmente quando a parente loira passa a ser referida, em português, como a desavergonhada da Luísa.
      Provavelmente quando substituímos os guarda-chuvas de chocolate por bifes tártaros.
      Provavelmente quando começamos a gostar de tomar duche.
      Provavelmente quando cessamos de ter medo do escuro. Provavelmente quando nos tornamos tristes.

      Mas não tenho a certeza: não sei se sou crescido.>>


      Pois... :rolleyes:
    • RE: Bric-à-Brac de emoções...

      :] ...Não acredito! Estás mazungando ( :P) comigo Tony...

      Fica atento, vai ouvindo, oops...vendo! ;) :]

      Desde já te digo: são coisas minhas , sem importância para os outros -- digo eu -- mas que me tocam diáriamente...certamente o que acontece com muitos de nós.

      As palavras para mim são como objectos de valor, neste caso um verdadeiro bric-à-brac de sentimentos!


      Inté.......!
    • RE: Bric-à-Brac de emoções...

      Ao final do dia, nada como uma canção daquelas que, chegam direitinhas ao coração:


      Malhas Caídas



      Não me interpretes mal,
      não troques os sinais
      tu sabes que no fundo,
      bem lá no fundo, somos todos iguais:
      malhas caídas,
      esperança e pouco mais

      Não me interpretes mal,
      não me queiras julgar
      Sabes que a solidão
      deixa a razão fora do seu lugar

      malhas caídas,
      pontas por apanhar



      ( O Assobio da cobra -- Mª Azevedo)
    • RE: Original é o poeta...

      Original é o poeta
      que se origina a si mesmo
      que numa sílaba é seta
      noutro pasmo ou cataclismo
      o que se atira ao poema
      como se fosse um abismo
      e faz um filho às palavras
      na cama do romantismo.
      original é o poeta
      capaz de escrever um sismo.

      Original é o poeta
      de origem clara e comum
      que sendo de toda a parte
      não é de lugar algum.
      O que gera a própria arte
      na força de ser só um
      por todos a quem a sorte faz
      devorar um jejum.
      Original é o poeta
      que de todos for só um.

      Original é o poeta
      expulso do paraíso
      por saber compreender
      o que é o choro e o riso;
      aquele que desce à rua
      bebe copos quebre nozes
      e ferra em quem tem juízo
      versos brancos e ferozes.

      Original é o poeta
      que chegar ao despudor
      de escrever todos os dias
      como se fizesse amor.
      Esse que despe a poesia
      como se fosse uma mulher
      e nela emprenha a alegria
      de ser um homem qualquer.



      J.C.ARY dos Santos